A baronesa Duda - Quilombo Areal da baronesa.
Arte: editora de Histori-se
O protagonismo de uma griô.

Presença, memória e protagonismo de griot

A baronesa Duda: o protagonismo de uma griô é um ‘post resumo’ de convite para a leitura do trabalho da Professora  Eva Esperança Guterres Alves:

 Presença, Memória e Protagonismo de uma GRIOT   .

O texto busca recuperar o mito de origem do território do Areal da Baronesa, onde parte dos moradores se reconhece como remanescente de um quilombo com origens no século XIX, nas terras do Barão e da  Baronesa do Gravataí, na cidade de Porto Alegre (RS – Brasil).

Segundo a história, quando o casal faleceu, algumas frações dos terrenos da região já estavam ocupados por negros alforriados e outras ficaram na posse do caixeiro-viajante Luís Guaragna, que ali se estabeleceu como sapateiro.

seta

  1. A TESTEMUNHA

Uma imponente parede de alvenaria – que restou do antigo solar – é a testemunha silenciosa das medidas higienistas, dos processos de homogeneização e de especulação imobiliária que os descendentes de africanos, ocupantes do local,  enfrentaram ao longo dos anos.

Aos desmandos e desafios impostos … a comunidade de “barões retintos”, buscando atender as suas necessidades básicas de sobrevivência e de cidadania, respondeu com resistências.

Solar do Barão de Gravataí e região do quilombo Areal da Baronesa
Imagem contendo região do quilombo Areal da Baronesa – século XIX.
***
O quilombo, assim como o Baobá da mãe África, ampara e fortalece aos seus.

Deste modo, cabe invocar  a ancestralidade,  bater o tambor e clamar aos orixás, como no poema “Tantã” de Oliveira Silveira:

Tantã

sinto teu som

me entrando nos ouvidos

me rachando a montanha do peito

tantã

ecoando nas entranhas

tantã

voz vulcânica de chão

lavas de lágrimas e emoção

tantã

lavas fundas de origem

tantã

voz do ser.

2. A BARONESA DUDA

A baronesa Dyda
Dona Gessi escrevendo suas memórias. Arte: editora de Histori-se.

É na caminhada que o tempo histórico presentifica outros tempos; é preciso acordar o herói com identidade canônica para que se reinvente o contemporâneo, para que se construa o coletivo.

Ao apagamento do quilombo silenciado pela história oficial, sucede-se o tempo de resgate da tradição e de ação política.

Aprendemos que existem, nas vozes que escutamos, ecos das vozes que emudeceram.

Uma mulher – dona Gessi, a Duda, com a sabedoria transmitida desde a noite dos tempos, de boca em boca com a responsabilidade do fogo sob a noite estrelada, emerge dentre essas vozes silenciadas.
Uma griô em Porto Alegre
Arte: editora de Histori-se.

Clique no link apresentado a seguir e leia sobre:

PRESENÇA, MEMÓRIA E PROTAGONISMO DE UMA GRIOT  >.

A  AUTORA
Professora Me Eva Esperança Guterres Alves. Professora de história do Ensino Público aposentada e com mestrado em Letras pela UniRitter.
Nota:

Fotografia da região do quilombo Areal da Baronesa (século XIX) – Imagem de domínio público, original no Museu Joaquim Felizardo, Porto Alegre ( RS – Brasil).
Observe a área com maior densidade de mata. O solar do barão e da baronesa de Gravataí é a edificação mais imponente no canto superior esquerdo da imagem, acima da região de mata densa.

logomarca Histori-se
Apoie Histori-se. Divulgue o site. Compartilhe o seu conteúdo.
Escrito por
Veja mais de Históricas
A mulher da casa azul
Recolhe, seleciona, higieniza e coloca em uso objetos rejeitados.
leia mais