Arte: Histori-se
Quais os feitos da esquadra cabralina no Brasil?

 Este post – Cabral no Brasil  – tem como origem a pergunta:

Quanto tempo a esquadra de Pedro Álvares Cabral permaneceu no litoral brasileiro?

Historieta explica
Arte da editora de Histori-se

Cabral no Brasil

A esquadra cabralina na Ilha de Vera Cruz
Cronologia e notas

 De Belém, navegando pelo rio Tejo rumo ao oceano Atlântico, partiu uma esquadra composta por três caravelas e 10 naus. A tripulação, 1. 200 homens, estava acomodada nesses 13 navios. Era o dia 09 de março do ano de 1500.

A esquadra era comandada por Pedro Álvares Cabral (1467 – 1520). Cada uma das 13 embarcações tinha um comandante.

O objetivo estava no Oceano Índico: impor o domínio português nos mercados de Calicute e, considerando a tese da intencionalidade, tomar posse de terras no Atlântico sul ocidental[1].

 Do dia 22 de março para o dia 23, uma das naus desapareceu. Segundo registros produzidos por Pero Vaz de Caminha (1450 – 1500), foi a que estava sob o comando de Vasco de Ataíde (?  1500). Portanto, 12 navios (três caravelas e 09 naus) estiveram na região entre a foz do rio Cahy e a baía de Cabrália em abril de 1500.

Cronologia – 21 e 22 de abril

  • A partir do arquipélago Cabo Verde, a esquadra seguiu em direção ao sudoeste e em 21 de abril encontraram sinais de terras:

“[…] muita quantidade de ervas compridas, a que mareantes chamam botelho, assim como outras a que dão o nome de rabo-de-asno […]
(Carta de Per Vaz de Caminha)”.

  • No dia seguinte, 22 de abril, pela manhã, a esquadra observou aves chamadas fura-buchos e:

“[…] a horas de véspera, houvemos vista de terra! Primeiramente dum grande monte, mui alto e redondo; e doutras serras mais baixas ao sul dele; e de terra chã, com grandes arvoredos: ao monte alto o capitão pôs nome – o Monte Pascoal e à terra – a Terra da Vera Cruz […].
(Carta de Pero Vaz de Caminha) “.

  • Ainda no dia 22 de abril, ancoraram a uma distância de, mais ou menos, seis léguas da terra.

13 dias

Os navios comandados por Pedro Álvares Cabral permaneceram 13 dias no litoral baiano.
Ao longo desse tempo, duas missas foram rezadas e os portugueses consideraram terem tomado posse das terras que julgavam terem direito com base no Tratado de Tordesilhas (1494).

  • No dia 23 de abril, navegaram para mais perto da costa e lançaram âncora perto da foz de um rio. Nicolau Coelho desembarcou.
  • No dia 24, costearam o litoral rumo ao norte, buscando um lugar com águas mais calmas para ancorarem.
  • Sábado, 25 de abril, a armada ancorou em um lugar que denominaram: Porto Seguro.
  • Domingo, 26 de abril, em um ilhéu, foi montado um altar e lá foi rezada uma missa.
    Ainda nesse dia, foi decidido que uma das naus retornaria para Portugal e informaria ao rei sobre a terra encontrada.
  • Na terça-feira, 28 de abril, foi decidido a confecção de uma cruz de madeira para dupla finalidade: rezar uma missa e marcar a terra como posse da coroa portuguesa.
    Leia o registro de Pero Vaz de Caminha:
“[…] faziam dois carpinteiros uma grande Cruz, […]. Muitos deles vinham ali estar com os carpinteiros. E creio que o faziam mais por verem a ferramenta de ferro com que a faziam, do que por verem a Cruz, porque eles não têm coisa que de ferro seja, e cortam sua madeira e paus com pedras feitas como cunhas, metidas em um pau entre duas talas, mui bem atadas e por tal maneira que andam fortes, segundo diziam os homens, que ontem a suas casas foram, porque lhas viram lá […].
(Carta de Pero Vaz de Caminha)”
  • No dia lº de maio, foi decidido onde fixar a cruz. Junto à cruz, foram anexadas as armas e as divisas reais de Portugal.
  • No dia 2 de maio, partiram 11 navios para Calicute e um para Portugal.
    Na terra, ficaram dois degredados, dos vinte que iam na armada, além de dois grumetes que fugiram, segundo informa a Carta de Pero Vaz Caminha:

“[…] Creio, Senhor, que com estes dois degredados ficam mais dois grumetes, que esta noite se saíram desta nau no esquife, fugidos para terra.
Não vieram mais.
E cremos que ficarão aqui, porque de manhã, prazendo a Deus, fazemos daqui nossa partida. […]”.

 

Notas:

  • No conteúdo   Os brasis , a gente tenta imaginar o período da estadia da esquadra cabralina no – atual – litoral brasileiro por lentes nativas. Ancorado sobre conhecimento histórico, o texto de ficção foi escrito.
  • [1] No ano de 1492, Cristóvão Colombo chegou ao continente americano. No ano de 1494, Portugal e Espanha assinaram o Tratado de Tordesilhas.
Referências – documento:
  • Carta de achamento do Brasil – Documento – Carta de Pero Vaz de Caminha. Fundação Biblioteca Nacional, Biblioteca Digital Nacional. Documento disponível on-line  em <  Cópia do original >. (acesso fevereiro de 2024). Domínio Público.
logomarca Histori-se
Apoie Histori-se. Divulgue o site. Compartilhe o seu conteúdo.
Veja mais de Patrícia Rodrigues Augusto Carra
Pão de forma da Lúcia
Delicioso, leve e fácil de fazer.
leia mais